3 de junho de 2020 Karin Nisiide

O que o seu hóspede espera do seu hostel pós-pandemia

Reception Counter Services with Customer at Counter, Businessman Check in at Hotel Reception

Especialistas apontam que a forma de fazer turismo vai mudar após a pandemia do coronavírus. Mas o que o seu hóspede espera do seu hostel pós-pandemia?

A tendência é que as viagens sejam lentamente retomadas no decorrer dos próximos meses, ou, até de anos. Nesse primeiro momento, as pessoas possivelmente vão preferir destinos locais e não vão se aventurar longe de casa, buscando estadas de fim de semana. 

As viagens aéreas ou rodoviárias são um fator preocupante das pessoas.Para evitar aglomerações, as viagens locais deverão ser tendência.

Reconquistar a confiança dessas pessoas para a retomada do turismo é o grande desafio de todo o setor. O turismo em geral precisa oferecer alternativas assertivas, pois no início, os viajantes serão mais cautelosos com suas escolhas. Por isso, é essencial que a rede hoteleira adote padrões elevados de higiene e limpeza, assim como os hóspedes devem estar atentos às suas responsabilidades.

Seu hostel deve estar preparado para essa nova forma de se fazer turismo. Para isso, trazemos aqui algumas dicas de como se preparar o seu hostel pós-pandemia. Confira!

Comunicação assertiva

Você deve comunicar claramente o que estão fazendo para que os hóspedes sintam-se seguros. 

Use dos seus canais de comunicação para falar com seus possíveis hóspedes. Faça um comunicado do retorno da sua operação, e explique todos os procedimentos adotados, aplicação de protocolos rígidos de distanciamento social, seguindo sempre as normas da OMS – Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde.

Mesmo o hostel pós-pandemia é um espaço de lazer e relaxamento, e essas regras devem estar inseridas dentro da experiência do lugar, atuando para reduzir o trauma deixado pela pandemia.

Hostel pós-pandemia: mais digital, menos contato

Falava-se muito em transformação digital, mas, na prática, pouco se fazia de concreto. O atual cenário mostrou que está claro e urgente a necessidade das empresas começarem a transformação digital dos seus negócios.

Para o setor hoteleiro, existem no mercado ferramentas capazes de otimizar sua gestão e que proporcionam a redução do contato físico do hóspede com os colaboradores.

Um exemplo disso é a mudança nos procedimentos de check-in e check-out. O check-in online é uma ferramenta onde o hóspede faz seu check-in desde seu celular, computador ou tablet, sem ter que usar canetas, preencher formulários e ter contato com equipamentos utilizados por outros usuários. Essa é uma solução já adotada por alguns meios de hospedagem, pois, além da segurança, a digitalização do check-in traz uma redução de material em papel, agindo assim de forma sustentável.

Para o check-out, existem ferramentas de pagamento eletrônico, integradas com os sistemas de gestão e com seu motor de reservas, onde o hóspede coloca seus dados de cartão de crédito pelo seu próprio celular. Assim, o colaborador pode fazer o pagamento dentro do sistema com um só click, sem manipulação dos dados do usuário, sendo uma operação totalmente segura.

Essa operação evita a manipulação de dinheiro e o uso de máquinas de cartão de crédito, que podem ser vetores de uma infecção.

Procedimentos especiais de limpeza 

O setor hoteleiro deverá se adequar a novos procedimentos de limpeza, o que se está chamando de “limpeza cinco estrelas”.

Os protocolos de higiene adotados deverão ser muito mais rígidos, e seguir as recomendações da OMS, além de ter uma periodicidade muito maior entre as limpezas.

Como exemplo desses protocolos estão o uso de produtos de desinfecção específicos, uso de máscaras e face shield, além de paramentação especial para os colaboradores da limpeza, separar a limpeza em etapa limpa e etapa suja, com a troca da paramentação entre as etapas para evitar contaminação, colocar capas de colchão e travesseiros, que deverão ser trocadas a cada uso, além de maior rigidez na lavagem da roupa de cama, entre outros procedimentos.

Não esqueça de comunicar ao hóspede todos os protocolos de higiene que seu estabelecimento está adotando!

Serviços a la carte

O recomendado nessa retomada é evitar buffets, onde podem ocorrer aglomeração de pessoas, além de manipulação e contaminação dos alimentos através de pessoas infectadas.

Para evitar isso, você pode adotar serviços a la carte. Adote um café da manhã mais enxuto, com opções a la carte, que podem ser inclusive consumidas no quarto, se o hóspede se sentir mais seguro. Room service não é uma prática em hostels, mas se você possui uma área pequena de café da manhã, talvez seja a melhor alternativa para evitar aglomerações.

Os “family dinners”, jantares comuns em hostels para aumentar a interação dos hóspedes, deverão também ter novo formato. Poderão ser feitos, respeitando as regras de distanciamento social, e em forma de prato pronto, sem o “compartilhar”, muito difundido dentro da ideologia de hostel. Sabemos que muitos hostels contam com esses extras para aumentar o ticket médio do seu hóspede, portanto você deve estudar com cautela como oferecer esses serviços sem prejudicar a segurança entre seus hóspedes, e ainda assim manter a essência da experiência.

Valorização do turismo local

Países como China, Holanda e Dinamarca já começaram a sair do isolamento e já apostam em ideias para o renascimento do turismo, incentivando a valorização do turismo local. 

Uma delas é o staycation,  ou holistay, que é um período em que um indivíduo ou família se hospeda e participa de atividades de lazer a uma curta distância de carro de sua casa. Em alguns casos, ele sequer necessita de acomodações noturnas.

Uma tradução mais livre seria “turismo bate-volta” – e isso não necessariamente é o mesmo que o turismo doméstico sob uma perspectiva de um país continental como o Brasil. A viagem de carro, seja com próprio ou alugado, provavelmente será uma opção viável e saudável, pois evita a conhecida aglomeração de um avião.

Diante de toda a incerteza  que essa pandemia nos trouxe, e do que virá quando tivermos um “novo normal”, uma coisa é certa: nada será como antes e ninguém vai se sentir muito à vontade com a proximidade social. Os hostels devem se reinventar e estar preparados para a nova necessidade e desejo do consumidor, e oferecer opções seguras para a retomada das atividades.

Para mais informações, baixe  o guia “Como hostels estão se estruturando para atender na pós-pandemia“.

About the Author

Karin Nisiide
Karin Nisiide Proprietária do Tetris Container Hostel, em Foz do Iguaçu. Startup Update your hostel! Arquiteta e urbanista por formação, largou tudo para trabalhar com turismo. Ama viajar e sempre que pode está visitando e conhecendo hostels pelo mundo afora, para escrever as histórias de sucesso do Mochilão da hq!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *