LOCAL HOSTEL, O HOSTEL QUE INICIOU NO BOOM DA COPA DO MUNDO

Os desafios de Camilla e Matheus, que abriram um hostel pouco antes da Copa do Mundo de 2014

Os mochileiros que viraram hosteleiros

A história de sucesso de hoje fala sobre o Local Hostel, que possui duas localidades: um em Manaus e outro em Figueiredo.

Camilla e Matheus viajaram muito. E sempre que viajavam, ficavam em hostels. Já se hospedaram em muitos hostels no mundo afora. Tiveram muitas experiências, boas e ruins, para se inspirar.

Mas o primeiro trabalho de Camilla na área não foi em hostel, foi na hotelaria. Iniciou em um hotel na França, na rede Relais Chateaux, em St Bonnet le Froid, em 2013. “Passei 9 meses trabalhando na recepção do hotel. Fui parar lá através da escola onde fiz a minha especialização em gestão hoteleira, que selecionava alguns alunos para fazer um estágio na rede.”

Camilla, que já tinha um CV grande na área – formada em Turismo, especialista em Gestão Hoteleira, e com MBA em Gestão Financeira, conheceu Matheus – administrador e especialista em Gestão Hoteleira, fazendo essa mesma especialização em Canela, RS. E foi ali onde tudo começou.

Como trabalho de conclusão de curso, fizeram o projeto teórico do hostel. “Foi feito tudo, desde financeiro, marketing, processos, etc. Mas colocar tudo em prática não é fácil, ainda mais para pessoas totalmente inexperientes. A burocracia de tanta papelada e alvarás é bem complicada”, relembra Camilla.

Local Hostel em números

86 camas

5 anos de casa

Duas unidades: uma em Manaus e uma em Figueiredo

Iniciando com casa cheia

O hostel foi programado para operar para a Copa do Mundo de 2014. E a inauguração foi 3 meses antes da Copa.

Camilla conta que foi uma loucura, já que tudo era aprendizado, e já começaram operando com a casa cheia.

“A copa foi um grande aprendizado pra gente e trouxe um grande retorno financeiro e experiência mesmo. Já começamos com o hostel bombando e tendo que lidar com todas as loucuras possíveis, típicas de um hostel. Aproveitamos todo o boom para dar o nosso melhor e aproveitar o grande marketing que foi gerado naquele momento, ainda mais que Manaus foi considerada a melhor cidade sede da Copa. Isso atraiu muitos turistas.”

Já começamos com o hostel bombando e tendo que lidar com todas as loucuras possíveis, típicas de um hostel. Aproveitamos todo o boom para dar o nosso melhor e aproveitar o grande marketing que foi gerado naquele momento.
Camilla Gonçalves

Vivendo o pós Copa

Depois de pronto, e após passar o boom da copa, conta que também teve algumas dificuldades. Ela tinha apenas 25 anos quando abriram o hostel, e já tinha que liderar uma equipe. “Quando abrimos, eu era muito nova e já tinha 4 funcionários para liderar e inspirar. Não é fácil! Mas vamos aprendendo no dia a dia.”

Mas o aprendizado faz crescer. Na sua opinião, o principal ponto para uma boa gestão é observar. “A gente cria e imagina várias coisas na cabeça. Mas, na realidade nem tudo são flores. Temos que entender que os hóspedes vão se comportar de outra forma e precisamos estar atentos para observar como vai ser a rotina e trabalhar nas melhorias, ter a humildade de receber feedbacks e mudar. Seja um processo ou de estrutura. A mudança é continua e eterna.”

Relembra que quando começaram, tinham em mente o que fazer, mas principalmente o que não fazer, com base nas suas experiências pelo mundo. Mas as melhorias são eternas, e as necessidades também. “O mundo vai evoluindo e temos que ficar atentos para acompanhar as mudanças.”

Em 2018, abriram sua segunda unidade, em Figueiredo, provando que não só conseguiram sobreviver ao pós copa, como também expandiram com mais uma unidade.

Preferência por uma empresa brasileira

Quando iniciaram, utilizaram dois sistemas antes do HQ. Começaram com o Hostelworld, depois passaram para o Cloudbeds.

Fizeram a transição para o HQBeds há um ano. “Optamos pela troca, pois é uma empresa brasileira, de um grande amigo nosso. Sempre vamos preferir ajudar quem está próximo e vimos que tem vontade de crescer. Além do mais, é um sistema voltado para hostels, os outros são adaptados para hostels.”

Conta que a transição foi tranquila e rápida, pois o sistema é bem intuitivo. “Todos receberam treinamento e foram bem orientados. Mas, no geral a transição foi de boa.”

Como os dois são especialistas em gestão, conta que são muito focados no administrativo e precisam de dados para orientar as suas ações. E o HQ ajuda bastante com os relatórios financeiros e estoque.

Tiveram muitas mudanças positivas , e essas mudanças estão sendo contínuas, pois o sistema é pensado como hostel. Os sistemas que utilizaram anteriores ao HQ eram adaptados para hostels. Isso atrapalhava muito a gestão, pois estavam fazendo os processos como se fossem um hotel, mas sendo um hostel.

Além disso, os relatórios que o HQ fornece são muito importantes para as análises de dados e tomada de decisões dos dois. Eles utilizam todos os relatórios que o HQ fornece, além de todos os controles financeiros e estoque.

Local Hostel escolheu um sistema que é pensado para as necessidades dos hostels

Descubra também como você pode crescer e melhorar sua operação com uma demonstração gratuita.

Todos no HQ estão sempre muito dispostos a ouvir. As solicitações são sempre atendidas e realizadas. Obrigada, Hq =)
Camilla

Conexão com outros usuários

Camilla destaca que um fator muito importante da utilização do HQ é a conexão com outros usuários e donos de hostel. “O grupo no whatsapp une e permite muita troca de experiência. Às vezes tem pessoas que estão usando as ferramentas do Hq de uma forma diferente, de uma forma que não tínhamos imaginado e isso nos ajuda bastante”, conta Camilla.

Outro ponto importante que ela ressalta é a abertura do HQ aos usuários. “Todos no HQ estão sempre muito dispostos a ouvir. As solicitações são sempre atendidas e realizadas. Obrigada, Hq =)”

Conselhos de quem já conheceu muitos hostels mundo afora

Seguem alguns conselhos de quem já viajou bastante e pegou o melhor de cada cantinho para fazer seu próprio hostel:

“Primeiramente, viaje. Viaje muito e fique em hostels, escolha desde os pequenos e pouco avaliados aos mais tops e luxuosos. Entender o que NÃO FAZER é tão importante quanto saber o que deve ser feito. Hospede-se em todos os hostels da sua cidade. Estude o seu mercado. Procure quem serão os seus parceiros. Tenha um objetivo para o seu hostel e pense onde você quer chegar com ele no futuro. Seja ter só uma unidade ou querer abrir várias outros em cidades diferentes. Planeje e execute! Monte uma equipe incrível e inspire pessoas a abraçar teus sonhos. O trabalho é 24h, mas as recompensas não têm preço.”

O MOCHILÃO DA HQ CONTINUA!

Vamos trazer histórias reais de donos e donas de hostel do Brasil inteiro para descobrir o que aprenderam, como evoluíram e a paixão de cada um pela vida de hosteleiro. Por falar nisso, você já leu sobre o Song of Travel Hostel?

Até a próxima!

  • SHARE: